A SESSÃO DE REIKI DA MARIA COM OS PODERES DO SUPER REIKINHO

A aventura da Maria no seu interior 🙂

A Maria é uma menina de 9 anos que tem muito medo de ficar sozinha em casa. Acorda a meio da noite, assustada, grita a chamar pelos pais e não consegue voltar a adormecer. Os amigos da escola contam-lhe histórias e filmes de terror, que ainda a deixam mais assustada. A Maria faz consultas de psicologia e trabalhos diários de meditação, mas já se sente cansada por não descansar e não dormir bem as noites, ela e os pais também.

No dia 19 de Maio de 2021, a Maria veio fazer a sua primeira sessão com o Super Reikinho. Começou por fazer um desenho de casa de cor preta e ela, sozinha e assustada. Depois, desenhou ela a dormir, na sua cama de princesa, mas que passava as noites sem dormir com os medos. A Maria pediu para desenhar um antes e um depois, fiquei super feliz por ela desejar mudar aquela situação e reprogramá-la. Deixei-a desenhar tudo o que sentia e com todos os lápis de cor à sua disposição. Perguntou-me se podia dividir a folha com o antes e o depois; no depois, desenhou ela em casa, com a família, com companhia e na sua cama, à noite a dormir, sem medo!

Fomos para a marquesa, ela deitou-se e perguntou-me:
posso fechar os olhos?
– e eu respondi: claro que sim, vais fechar os olhos para olhares para dentro de ti. Vais ver umas grutas, que são os teus chacras e onde vivem uns Seres especiais. Vais fazer essa viagem com um super herói, que é o Super Reikinho, vocês vão percorrer um rio maravilhoso e vão passar por essas grutas. Vamos começar?!
– Sim, vamos!, respondeu a Maria ☺

Começámos pelo sétimo chacra, a primeira gruta da viagem da Maria, ela viu logo o Super Reikinho e disse que a gruta estava bonita, limpa e todos os seres estavam felizes, com cor-de-rosa, verde e brilhantes dourados.
Continuou a sua viagem até à próxima gruta, dando a mão ao Super Reikinho, e eu disse- lhe que era a gruta dos pensamentos. Ela descreveu que estava um bocado suja, com pó, com os quadros ao contrário e que os seres não conseguiam entrar para a sala. Os seres eram baixinhos, usavam calções e leggins, e estavam tristes porque queriam entrar na sala. Com a ajuda do Super Reikinho a gruta ficou limpa, sem pó e todos juntos procuraram uma chave dourada, que era necessária para abrir a porta da sala. A Maria encontrou e meteu a chave na fechadura, abriu a porta da sala para todos os seres entrarem felizes; havia muita cor: amarelo e pintinhas azuis. O Super Reikinho enviou raios de luz para todos os seres e preencheu toda essa gruta.

Continuando a viagem, até à gruta dos comunicativos, a Maria descreveu como a “gruta rocha”, de cor roxo e os seres estavam felizes nessa gruta limpa. Mas queria tirar uma fotografia com todos para colocar num quadro, eram seres de tamanho médio e chamaram um fotógrafo para tirar a fotografia de grupo. A Maria pendurou a fotografia, como um quadro nessa gruta e o Super Reikinho enviou raios de luz para a rocha ficar de cinzento claro, em vez de cinzento escuro, mas depois ficou tudo roxo, com brilhantes cor-de-rosa e de todas as cores do arco-iris. Ah!, no final apareceu um cão nessa gruta, era um amiguinho que o super Reikinho tratava dele!

Seguindo viagem pelo rio, a Maria, de mão dada, descreveu o super Reikinho de cor azul e a chegar à próxima gruta. Na gruta dos sentimentos, estava a cor preta com brilhantes escuros, mas os seres queriam mudar essa cor e pintar a casa em equipa. Então, em cada divisão da casa pintaram uma cor do arco-íris. A Maria foi à loja das tintas comprar as cores e todos começaram a pintar e o Super Reikinho coordenava: a Maria pintou com um pincel o seu quarto de cor-de-rosa e desenhou muitos corações. A sala foi pintada por todos, limparam um aquário que estava lá com uma tartaruga, mudaram-lhe a água e deram-lhe de comer para ficar feliz. Toda a gruta estava como um arco-íris, com brilhantes e todos os seres felizes.

Descendo até à gruta do umbigo, a Maria descreveu como a “gruta das pessoas felizes”, os seres estavam felizes, tudo limpo e cor-de-rosa. Todos estavam a desenhar arco-íris nas paredes, mas falta-lhes a cor vermelha. A Maria e o Super Reikinho foram a uma “loja de vermelhos” para, todos juntos, desenharem o arco-íris. O Super Reikinho encheu a gruta com raios de luz. Todos os seres felizes eram altos e tinham um disfarce, era como uma festa e ofereceram à Maria e ao Super Reikinho um disfarce de arco-íris, com um super poder, para ela trazer.

Ao entrar na última gruta, descendo o rio até chegar à gruta dos corajosos, a Maria disse que a gruta não tinha nome: o nome era “casa sem telhado”. Os seres estavam felizes, mas tinham um buraco no tecto. A cor da gruta era de todas as cores, mas tinha mais cor castanho, as paredes tinham poeira, a sala era pequena, tinham seis camas para todos os seres e o quarto era cor-de-rosa. Os seres ficaram tristes porque acabou de aparecer outro buraco, porque veio uma chuva muito forte, mas a Maria foi com o Super Reikinho rapidamente à “loja dos telhados” e compraram a parte de baixo do telhado e as telhas… foram rápido por causa da chuva!
No final fizeram um sótão no telhado, a cor do telhado era vermelho e depois todos os seres quiseram pintar o telhado com todas as cores primárias do arco-íris. Com a ajuda dos raios de luz do Super Reikinho, todos os seres dessa grutinha construiram um telhado forte e corajoso. No final quiseram tirar outra fotografia de grupo, mas desta vez com mais animais: a tartaruga, o cão, o gato e dois peixes, animais felizes e que estão bem nessa gruta.

A Maria neste momento respirou profundamente e disse que o Super Reikinho estava a acalmar o cão e o gato ☺ mas que estava tudo bem. Ela foi pendurar essa especial fotografia na parede da gruta e disse que estava muito mais bonita! Agora sim, colocou nome à gruta, com uma placa na entrada, que dizia: “as pessoas que têm um telhado novo”, nome que pintou de cor-de-rosa… e respirou profundamente.

Subiu o rio, a voar lado a lado com o Super Reikinho, passando por todas as grutas, verificando se estava tudo bem, trazendo um super disfarce com ela. No final deu um abraço ao Super Reikinho, agradeceu e disse-lhe até breve!

No final da sessão a Maria abriu os olhos, levantou-se e disse-me: – Hoje estou duplamente feliz! ☺

Gratidão de coração por esta partilha, Jessi Cruz

0 comments
7 likes
Prev post: CARTA DE UM JOVEM EM DESESPERONext post: Entrevista a João Magalhães e Sílvia Oliveira, pela Revista Progredir

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *